Cole o Código do Banner

13 de nov de 2011

Pobre-louca menina perdida...



Nessa tua falta da verdade
tanto te desprezo como também
enoja-me a tua mentira...

Tantas são as queixas,
as lágrimas,
as encenações,
as promessas
e uma amizade ou respeito,
feitos sentimentos rotos,
desprezíveis, rasos,
desfazem-se em tuas atitudes...

Na esperança que as portas
de teu caminho se abrissem
e que elas fossem realmente porteiras de liberdade,
ainda tentava crer,
que a insegurança é que te fazia fraca.

Tenho pena de você
pobre-louca menina perdida.

Se sorrir fosse estar feliz,
a hiena não sentiria fome,
o palhaço não choraria,
um homem sério seria teu amigo,

por isso...



Creative Commons License Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Um comentário:

Carla Cristina disse...

Querido poeta, à felicidade ofende as pessoas de pouco caráter.
Parabéns pelos poemas e também pelo amor.
Bjos