Cole o Código do Banner

12 de mar de 2007

Dorzinha gostosa...


Oi,
tudo bem com você?
Você sumiu,
me deixou acompanhado da solidão,
e sem dizer ao menos,
um dia eu volto,
partiu.

Partiu levando o sangue ainda quente,
espalhando paixões por outros ares.
E eu aqui, como sempre,
sem medo de você,
mas com saudade dos sonhos.

Lembra quando caímos da cama?
Que vergonha,
que delicia te erguer,
te trazer de volta,
altiva e fogosa,
continuar o amor.

Teu sem-jeito era latente,
cômico e irreal.
Como ficas linda despreocupada,
sem roupa, com a vergonha
e rubor nas mãos.

Quanta risada, quantos beijinhos,
mil suspiros, alguns arranhões,
muitas juras.

Como o mundo nada nos dizia.
Como sentir você desfalecer,
me fazia satisfeito.
E você sorrindo levada,
guardava sempre,
um ultimo desejo pro final.

Vinha sempre com jeitinho
de menina doce sussurrando
apenas murmurando coisas
que querias que eu adivinhasse.

Erguias teus seios,
lambias os lábios,
jogava os cabelos pra trás
e sem a menor cerimônia,
mordicavas meus desejos
mais secretos.

Que safadinha eras.
Que mulher, minha fostes.
Minha puta querida.
Minha deusa maior.

Por vezes ficavas esperando
minhas reações.
Como que apenas disfarçando
tuas vontades, teus anseios.

Colavas teu corpo ao meu,
e num movimento de pura sedução,
me fazias vivo, latente, perdido.
Teu sorriso não disfarçava teu estado
de prazer,
teu prazer, "com uma dorzinha gostosa"
como dizias, momentos antes do sono.

Olha minha menina,
lembro agora,
que quem partiu,
fui eu.

Eu que te deixei com a solidão.
Com medo de novos sonhos.
Com o sangue ainda quente.
Com o ardor do amor a te queimar.

Por isso,
fica triste não.
Parti sim,
mas nunca disse,

que não voltaria.

Por isso pequenina,
levanta do chão,
vamos voltar pro amor.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada por

Licença
Creative Commons
.

2 comentários:

Amélia disse...

Pela primeira vez um poema tão lindo, tão sensual, conseguiu me fazer derramar um lágrima.
Viajei com suas palavras, dor de um amor partindo, dor de uma amor deixado, e a suspense de um retorno!!
Eu, humildemente te digo, levantaria correndo e iria sentir esta dorzinha...tão gostosa, tão charmosa!!!
beijos

nanci cerqueira disse...

Poeta, fantástica esta “Dorzinha gostosa...” em todos os aspectos, como conheces esta mulher, como sabes o que ela sente, como é bonito a falta que sentes dela e dos sonhos sonhados, como descreve a cumplicidades de vocês nas coisas mais simples da vida, em momentos tão de vocês, o cair da cama, os sorrisos, os beijinhos, as brincadeiras naturais e a sutileza da timidez com muitas juras, tudo nesta poesia caminha pro um elo muito grande, sinto que falas com a alma, sinto que sentes a alma desta Mulher. O que mais posso falar... obrigado poeta por esta maravilha que nos presenteia!!!


Colavas teu corpo ao meu,
e num movimento de pura sedução,
me fazias vivo, latente, perdido.
Teu sorriso não disfarçava teu estado
de prazer,
teu prazer, "com uma dorzinha gostosa"
como dizias, momentos antes do sono.

Que Deus proteja vocês... Um beijo.