Cole o Código do Banner

24 de nov de 2007

BRIGAS ...!


Veja só
Que tolice nós dois
Brigarmos tanto assim
Se depois
Vamos nós a sorrir
Trocar de bem no fim
Para que maltratarmos o amor
O amor não se maltrata não
Para que se essa gente o que quer
É ver nossa separação
Brigo eu
Você briga também
Por coisas tão banais
E o amor
Em momentos assim
Morre um pouquinho mais
E ao morrer então é que se vê
Que quem morreu fui eu e foi você
Pois sem amor
Estamos sós
Morremos nós

De:
Evaldo Gouveia e Jair Amorim

3 comentários:

Gigi disse...

Menino gostoso, que pena que nosso tempo passou, mas continuamos a ser apenas nós dois em nossos corações.
Ainda te amo e sempre estarás comigo,
onde quer que meu coração vá.

Beijo em todas as crianças e um especial pra você.


G

R.Cássia disse...

Maravilhoso poder fazer essa pequena viagem ao túnel do tempo...
Maravilhoso também perceber que não morremos e que ainda existe amor em nós, em todos nós... Bjks

nanci cerqueira disse...

Poeta, esta letra diz tudo! Só depois que morre os dois e que se ver a realidade das brigas, o arrependimentos não adiantam mais, o amor foi sacrificado e muitas vezes totalmente enterrado. O amor tem que ter cuidados como um cristal, uma vez quebrado não existe emendas que não seja visível. Lindo texto pra analisar!


O amor não se maltrata não
Para que se essa gente o que quer
É ver nossa separação

A maioria das pessoa tem um grande defeito, não suporta ver os outros felizes, a felicidade agride, incomoda, surge a inveja destruidora de tudo, logo o amor tem que ser forte e protegido com uma cumplicidade total, assentado nas verdades dos momentos e dos sentimentos! Te beijo