Cole o Código do Banner

23 de dez de 2007

O PRESENTE


Um pequeno anjo não voava nunca,
tinha um verdadeiro pavor do vento.
Um tipo de medo, de pânico
que os para anjos é desconhecido.

Com isso sofria, chorava.
Sonhava toda hora apenas em voar,
ganhar o espaço, sobre-voar corações.
Ir tão longe atrás de emoções e carinhos
que queria bater no infinito da alegria.

Olhava o céu, contava estrelas cadentes
e nascentes.
Sentia corações que mesmo tão perto,
nunca poderia tocar.
Observava os humanos caminharem por sua estrada
e sentia que bastava um pequeno esforço
para conseguirem muito da vida.

Porque não um mínimo bater de asas?
Já seria suficiente para planar
pelas necessidades dos que tanto
queria ajudar.

O pequeno anjo já não aguentava
com tanto sofrer e no limite de sua
pouca razão, do seu pequenino coração,
entendeu que precisava de uma mão,
um pequeno acreditar,
de um incentivo para viver e voar.

E lá ia ele caminhando entre multidões
de corações que não sorriam.
Entre humanos que nem ao menos
conseguiam enxergá-lo em sua dor.

Numa noite destas de festa,
iluminada pelas luzes dos homens,
conseguiu ver muitos abraços, beijos e presentes.
Queria saber o porquê de alguns tão felizes,
quando outros, nem festa sabiam existir.

Correu pelo seu pequeno mundo,
achando ser o único que nada sabia,
que nada tinha para dar.

Ao dobrar mais uma esquina,
daquelas iluminadas pelos homens comuns,
viu um velhinho, sozinho, cansado,
mas com um sorriso único,
por trás de uma barba,
de muitos séculos por fazer.

Se chegando devagar, meio cabisbaixo,
perguntou meio sem voz, meio soluçando.

_ Se esta tão cansado, tão velho,
tão barbudo, por que sorris tanto
no meio de tanta festa?
_ Podes me emprestar um pouco dessa tua alegria?
_ Sou um anjo que não consegue voar.

Sem pressa e com um semblante de pura luz,
o velhinho disse:

_ Que bom que chegaste meu grande anjo.
_ Já se faz tarde, tinhas que ter vindo mais cedo,
aí sim, ganharias um presente meu.
_ Qualquer coisa que pedisse eu te daria.

Os pequenos olhos do anjo se iluminaram.
Logo pensou, vou pedir um presente a esse
velhinho...

_ Então quer dizer que podes me dar o que pedir?

_ Agora não posso mais, meu saco de presentes
já se esvaziou esse ano.
Chegaste tarde.

A decepção tomou conta da pequena face do anjo
e uma pequenina lágrima escorreu pesada ate o chão.

_ Que pena que o senhor não sabia que eu vinha
e não sobrou nenhum presente.

_ Mas eu sabia que você estaria por aqui hoje
meu anjinho e estava te esperando.
_ Hoje sou eu que vou pedir um presente.
_ Tenho certeza que tem ele ai para me dar.

O anjo pensou rápido como um raio.
Que presente ele vai pedir.
Nada tenho para dar a ele.

_ Olha meu anjo, me chamam de muitos nomes.
_ As crianças adoram meus presentes.
_ Os homens repensam seus atos nesse dia de festa
e sou até capaz de desvendar sonhos.
_ Estou cansado e tenho que voltar pra casa,
mas ela fica lá no alto e perdi minha carona
te esperando.
_ Esse é o presente que quero de ti.
_ Quero que me abraces, saia voando,
e me leve de volta ao mundo dos sonhos.
_ Podes me ajudar eu sei.
_ És capaz e sei que tens coragem de
carregar esse velho gordo em teu colo.

Outra lágrima rolou pelo rosto triste do anjo.

_ Mas meu senhor, não sei voar, tenho medo
e podemos cair os dois.

_ Eu sei que és capaz, e sempre serás.
_ Vamos, vamos voar, de deixa em casa e volta
para cumprir teus deveres.

O anjo num grande esforço pegou no colo
o velho barbudo e num suspiro profundo,
buscou no desafio, a coragem de que precisava
para voar.

Bateu suas pequeninas asas
e sorrindo para o universo,
sentindo o sabor do vento
sobrevoou os sonhos que o velhinho tinha
realizado.

Mais alto e mais rápido,
caminhou através das estrelas
sentido a paz e a alegria daquele momento
que sempre estará, de hoje em diante,
em todas as suas noites de Natal...

***

É o que desejo nesse e em todos os NATAIS de suas vidas.

Obrigado pelo presente de ter vocês sempre comigo...




Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

6 comentários:

JEANINE disse...

O PRESENTE FOI NOSSO POETA...
NOSSO....

NOSSO ANJO..
NOSSO AMIGO...
NOSSO AMOR..
NOSSO AMANTE...
NOSSO POETA...
SIMPLESMENTE NOSSO HOMEM.

FELIZ NATAL!
NINA

Roberthyson disse...

Obrigado Pai.

Te amo.

Claudia disse...

Muito lindo.
To com lagrimas nos olhos.

Beijo meu poeta

Marta Lucia disse...

Céus!!! ...
Impossível não sentir um aperto no peito ... um nó na garganta...
Não precisa conhecer teu rosto pra sentir o quanto você é lindo como ser humano.
Impossível não ficar cativo de uma alma com tanta luz ...

Deus te abençoe.

R.Cássia disse...

Lindo Presente! Obrigada! Bjks

nanci cerqueira disse...

Poeta, um dia um anjo me disse...”Na vida existem as pessoas que nasceram pra ser, e outras apenas pra existir, Você é mais que isso tudo. VOCÊ É VIDA E SENTIMENTO...” te digo estas palavras deste lindo anjo! Você é isso, vida e sentimento! Você menino, já nasceu pronto, teu pai e tua linda mãe só fizeram te ensinar a dá os primeiros passos, levantastes, andastes e enxergastes o mundo com teus olhos, usando tuas lentes do amor, crescestes sentindo tua missão nesta vida, teu caminho está só na metade, já te disse isso e cada instante tenho a certeza que falei certo! O mundo precisa, necessita de seres como você, que faz e transmite o bem, o amor pro onde passa! Parabéns poeta, és o presente pra nossas vidas! Eu te agradeço, por me permitir está junto a te! Obrigado... Obrigado!!!

Um pequeno anjo não voava nunca,
tinha um verdadeiro pavor do vento.
Um tipo de medo, de pânico
que os para anjos é desconhecido.

Com isso sofria, chorava.
Sonhava toda hora apenas em voar,
ganhar o espaço, sobre-voar corações.
Ir tão longe atrás de emoções e carinhos
que queria bater no infinito da alegria.
...

És um lindo anjo, te encontrei, reconheci desde cedo, mas não avisei pro céu, pois temos que desfrutar por muito tempo tua presença, lá em cima tem muitos, aqui temos poucos, logo tua estadia é muito importante! Te beijo meu anjo! Kkk

Como não amar Você?