Cole o Código do Banner

31 de mar de 2008

Observando Você...!


_ Ainda em beicinhos e prantos,
já te sente rainha e dona.

Observar vocês é dádiva exclusiva de nós,
homens encantados, pelos maneios e feitiços
de tua simples existência,
de teus jeitos,
trejeitos,
modos,
desmodos,
olhares,
suspiros e
os tão esperados
"com-sentimentos".

Vê-las, olhá-las,
percebê-las plenas,
nos mínimos diminutivos de tuas vontades,
nos máximos sonhos de tuas vaidades,
no modo simples de saber-"se" ser "tudo"
só pode ser divindade.

No jeito de sorrir,
iluminando a própria
luz que as cerca.
No trejeito com jeito
do canto de tuas bocas.

No amor, reto, indireto, discreto,
deles ou delas, és leme e timão,
na corrida simples e árdua de uma paixão.

Na amostra carnal de tua testa
franzida, com graça e atitude,
em teus arroubos de amor e fúria.

Cadeiras ao largo no caminhar
sobre as ondas quentes de nossos
olhares a cobiçarem o balanço que
hipnotiza, no vago mostrar de tuas
reentrâncias ocultas.

Nas lágrimas que ao rolarem por tua face,
buscam colheita em nós,
que na delicadeza do amor ou
com a força do bater de asas da borboleta,
que nessa hora,
faz vento suave,
em tuas tristezas e alegrias.

Reparando na mesa cheia de conversas,
teus pensamentos voam soltos.
As palavras surgem em murmúrios
de teus pontos de afirmação,
do poder abençoado por um ser
maior, uma energia difundida
através dos tempos em muitos,
em todos os corações,
que ao baterem seus primeiros impulsos,
entranhan-se por tuas entranhas prenhas,
do sempre todo esperado.

No cruzar de pernas, a graça,
da garça livre em seu vôo
espontâneo e sedutor.
Todo elevar de pernas vem seguido,
como premio, de um olhar, que seduz.

Na seriedade de muitas responsabilidades,
surge a mulher firme, decidida, sabedora
dos passos e entre-passos a tomar.

No chegar ao casulo solitário,
reina a fragilidade da mãe,
da mulher, da espera.

No mês, todo ano,
vem vermelha, rosa em espinhos,
a vida a sangrar plenitude, sonho
e continuidade.

Ao debruçar o colo para letras formar,
as mãos firmes fazem os pensamentos
correrem em busca de uma só verdade,
a real vontade de inteligenciar a vida.

Menina, sonhadora, mulher, devaneio,
teus modos de conquistar teu espaço,
teus caminhos são únicos,
eternos do nascer ao por de teus sois,
na passagem eterna de tuas infinitas vidas.

No sono, com vida suspensa,
teus olhos mesmo que cerrados,
como nos dizem, em seu remanso,
teus anseios,
teus medos, inseguranças.

No prazer fingido pelo amor
ou provado na verdade do sentimento,
sentido como liberdade,
como em eterna afirmação de teus direitos,
é sempre teu, apenas teu.

Se conseguirmos parar o momento
exato de tua fortaleza maior,
no instante descontração,
como perceberemos tua tela,
em que se faz bela tua imagem,
solta na vida, na retina,
do nós abençoados.

Um carinho,
o afago único em teus amores,
são gestos de mel,
por vezes amargos nas verdades,
na crueza real do que é sentir o amor.

Na caminhada diária,
nos minutos de dissertação de tuas solidões,
observe a mulher, poupe-a de nossos preconceitos
e veja apenas a suavidade de ser suprema.

Olhe bem, sem maldade ou cismas.
Enxergue seus sonhos sem palavras.
Deixe-se levar pelo apelo real
sincero da mulher simplesmente.
Nada mais precisa sentir.
Nada mais ela pede,
apenas sinta-a mulher...




Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

5 comentários:

Cinthia disse...

Nada mais a dizer, simplesmente divino.

Poeta você enxerga a mulher melhor que nóos mesmas.

Muitos beijos

R.Cássia disse...

Incrivelmente belo!
"Quão sensível és,
na leveza escrita,
ao tocar a pena
e dela sugar, transformar
e fazer surgir, emergir
a real e mais mulher,
que todas nós mulheres!"
Obrigada!
R.Cássia

Simone disse...

Maravilhoso de tudo....rsrsrsrsrsrsr


Muitas beijocas

Roberta-RS disse...

Oi homem maravilhoso, poeta consciente, minha lembrança de consumo.

Cada dia você nos conhece melhor, e nos mostra o quanto sua alma nos faz bem.

O homem lindo, eu sei, que me faz um bem enooooooorrrmmmmmme.kkkkk

Muitos beijos com saudades de nossas noites.

Nanci Cerqueira disse...

Poeta, como dessecas a alma de uma mulher com nobreza, tornando-a totalmente visível a olho nu... como um médico que invade o corpo, tu invades a alma, chegando as profundezas, trazendo a tona as melhores qualidades, engrandecendo este Ser! Utilizando teu olhar biônico, teus sentimentos grandiosos, tua sutileza, tua paixão, produz um verdadeiro raio X da alma de uma MULHER! Teu poema nos mostra isso... sabes mais que as palavras possam nos dizer! Fantástico... fantástico poeta!

Na seriedade de muitas responsabilidades,
surge a mulher firme, decidida, sabedora
dos passos e entre-passos a tomar.

No chegar ao casulo solitário,
reina a fragilidade da mãe,
da mulher, da espera.

Ao debruçar o colo para letras formar,
as mãos firmes fazem os pensamentos
correrem em busca de uma só verdade,
a real vontade de inteligenciar a vida.

Será difícil uma Mulher ter segredos pra com você, podes fazer de conta que não sabes, mas sabes... por isso eu te digo logo... Eu te amo! Kkkk

Te beijo menino bonito