Cole o Código do Banner

21 de abr de 2008

Maldades de Tesão...



_ Vamos, anda, não para...!

Me dizes dengosa:

_ É agora... assim...!

Sei por teu arfar,
que não queres,
não podes esperar mais.

Mas como tutor desse tango de amor,
digo que pode ser mais,
muito mais forte.
Ainda é cedo,
não pode ser já.

Precisas sentir tudo.
É bom o prenuncio das nuvens.
Precisas aguentar tuas ânsias,
teus desejos maravilhosos e selvagens.

Nesse instante,
como que,
obedecendo a uma força maior,
minha língua ávida,
pára, estanca seus maneios,
suas provas e ainda viva,
quente, afiada, tua,
como a esperar o momento
viagem e logo para de vez
de se mover.

Percorro teus segredos,
tuas reentrancias mágicas,
a derramaren-se em paixões molhadas,
soluçando minha atenção,
suavemente imposta pelo
saborear de tuas vaidades.

Imponente revira-te,
gritas, sussurras
engenhosas súplicas e
como minha menina mimada,
paras de gemer, me olhas,
sorrindo maldades de tesão,
e sem mais esperar,
pedes como ordem:

_ Te quero homem, agora ... já ... !!!

Obediente aos nossos desejos,
te penetro suave,
apenas saboreando tuas quenturas,
descobrindo sem pressa,
pela dança de tuas pupilas,
a força, a intensidade
que mais te acende.

Ao cerrares os olhos,
depois de um longo suspiro,
sinto que tenho tua essência
em todos os meus membros e
sussurrando em teus ouvidos,
dizendo que és minha,
que me fazes teu macho
e que em meu deleite,
te cubro com carinhos
especiais, mundanos,
somente teus.

Passamos minutos, horas,
segundos a nos debater
com nossos corpos entregues,
suados, dados a toda forma
da expressão natural,
a mais carnal possível.

Com movimentos,
quase que ritmados,
mas fortemente intensos,
posso sentir o desaguar
mais fluído de tuas águas,
a chegarem torrentes no atingir
o gozo, em arrebatada entrega.

Agora,
correndo contra os espasmos
de nossos corpos,
te alcanço afoito
e num gozo sublime,
fazemos a curva da
entrega final juntos,
no momento exato da
melhor das coincidências.

Ainda abraçados,
no paraíso dos carinhos
do depois, chegas decidida
recuperada do desejo e
te acomodas por cima de mim e
como minha menina mimada,
pedes como ordem de amor;

_ Te quero mais, mais... mais.



Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

5 comentários:

Jessica disse...

Oi poeta maravilhoso, quero que...
Me leva
por caminhos de amor e prazer
Se inflame na chama do meu corpo
Me sufoca
Me enrosca
De forma natural
se entregue
Me pega
Me laça
Me abraça e me come do te jeito....

Demais !!!

Luana Maria disse...

Até me arrepiei...
Estou sem palavras.

Muitos beijos poeta.

R.Cássia disse...

Volúpia... Prazer... Sensações... Querer...
Bjks!

nanci cerqueira disse...

Poeta, como a música de Feliciano “Malaguena” nos faz sentir, teu poema, além do sentir, nos coloca dentro deste cenário impregnado de amor! Agiganta vontades e desejos! Descreves com mimo, com sedução, detalhes de sentimentos e de corpos, de arrepios que aflora as almas, nos dando uma visão além da terceira dimensão! Teu poema mexe com nosso Eu, nos mostra o que somos e o que queremos, nos fazendo sentir que os sonhos podem se realizar! Um sonho de Amor! Fantástico poeta!!! Parabéns!!! Parabéns!!!


Mas como tutor desse tango de amor,
digo que pode ser mais,
ainda é cedo,
não pode ser já.

Precisas sentir tudo.
É bom o prenuncio das nuvens.
Precisas aguentar tuas ânsias,
teus desejos lindos e selvagens.

Imponente revira-te,
gritas, sussurras
maravilhosas súplicas e
como minha menina mimada,
paras de gemer, me olhas,
sorrindo maldades de tesão,
e sem mais esperar,
pedes como ordem:

_ Te quero agora, já!!!


Um bom escritor nos cria um quadro panorâmico, um bom escritor e sendo Poeta nos faz sentir emoções reais através das palavras bem ditas, é o que fizestes Menino, criastes emoções antes não sentidas! “maldades de tesão” kkkk

És um lindo feiticeiro!

Te beijo com magia ...

Menina Sapeca disse...

Eu sou aquela Menina Sapeca, por isso mesmo, identifiquei-me com o poema todo... todo...tudo...lembranças...

Um abraço dengoso e beijos gostosos.