Cole o Código do Banner

31 de ago de 2008

Louco Trem do Destino - 14/02/08


No ruído constante dos dias,
vem o tempo da caminhada solitária.
Louco tempo de um trem voador,
que trilha por caminhos de vida,
sem aparente destino.
Comendo trilhos, vivenciando amores,
dores e sonhos,
em seu eterno vai-e-vem do tempo
que nos tem...

Desvairado trem da pressa,
do passar sem perceber,
que trilha por momentos arriscados,
percorrendo o interior de nossas noites,
penumbra de nossas consciências,
instantes para esquecer
em seu eterno vai-e-vem do tempo
que nos tem...

Insano trem sem tempo,
que trilha decisões arrependidas,
colhendo almas, abençoando seres,
em seu eterno vai-e-vem do tempo
que nos tem...

Trem-Vida,
fazendo seres,
moldando sonhos,
trocando dores,
buscando amores,
em seu eterno vai-e-vem do tempo
que nos tem...

Nosso trem perdido no tempo,
que nos faz buscar um caminho,
sem nos dá escolha do destino.

Triste trem, de quem não tem
tempo para o caminhar solitário
e não agradece ao destino
que grandioso, não faz nosso
trem parar...



_ A pedidos... Obrigado.


Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Um comentário:

nanci cerqueira disse...

Poeta, este teu poema é uma realidade, ele terá sempre sentido em todo instante que se ler! Este trem alucinado... não sabemos onde ele vai parar, pra onde ele está nos levando nesta rapidez estúpida... mas temos que nos segurar nestas curvas... com força, pra não sermos jogados pela janela!

Nosso trem perdido no tempo,
que nos faz buscar um caminho,
sem nos dá escolha do destino.
...

Muito bom teus pensamentos!!!

Te beijo menino