Cole o Código do Banner

14 de abr de 2007

Nosso prazer...


Na cama,
ainda envolto em desejos,
vejo você num sorriso de sono,
com olhar de sapeca,
suspirando sensações.

Fico ainda, um instante,
te olhando com ternura,
como que te fazendo minha.

Sentindo teus pelos eriçarem,
viajo lembrando do
friozinho gostoso,
que teu néctar me fez sentir,
quando senhor e servo,
estava em você,
nos fazendo um só.

Puxo você mais pra mim,
passo de leve minha mão
em tuas costas,
seguindo os contornos
e curvas de caminhos,
a pouco vividos,
com tamanha fome.

Agora já estas com teus
olhos semi-abertos.
Teus lábios, ainda vermelhos,
balbuciam palavrinhas doces
e safadas.
Tuas mãos procuram em mim,
minha resposta, teu desejo.

Afasto teus cabelos e
em tua nuca, mordisco de leve.
E num misto de sussurro e beijo,
te digo:

_ Sou teu, quero o teu prazer.
_ Quero me achar em teus suspiros.
_ Conter, mas não muito,
teus gritinhos, mais íntimos.
_ E já sentir saudade da hora tua,
que selvagem,
gata-mulher,
pedes
para que eu pare,
que te falta o ar.

Nesse momento,
te sinto minha.
Estas solta em meus braços.
Em tuas mãos, já me tens pronto.
Em tua boca, águas inundam
tuas vontades, tua fome.

Me beijas firme.
Puxas meus cabelos.
Me encara confiante nos olhos.
Determina tua vontade.

_ Fica quieto amor!

_ Esquece um pouco da tua menina.
_ Agora sou eu quem quer
teus sussurros,
teu arfar.
_ Vem pra mim e deixa
te fazer meu homem satisfeito.

E nos lençóis cúmplices
que cobrem a cama,
brindamos juntos
a satisfação do outro.


Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

5 comentários:

Daniela disse...

Poeta, isso é maldade, estou tremula até agora.
Você mais que ninguem consegue nos transportar, de maneira sutil e elegante, as maravilhas do sexo e do amor.
Obrigada poeta pela viagem.

Te adoro.

Rita disse...

Deliciosas palavras...Carinho, paixão. Muito bem descrito, em sensualidade e sutileza...Bjks

nanci cerqueira disse...

Poeta, este teu poema, nos faz viajar, nos faz sentir o que é o amor, o prazer de dois corpos que amam, a curtição, a admiração renascendo novos desejos, de sentir o que acabou de sentir, mas é tão extraordinário que desejamos que o mundo pare e que aquele momento seja eterno, nos dando a mesma vontade de antes, com a certeza do bom, do lindo, do fantástico que é a integração de dois corpos na plenitude do amor se tornando um só, esta sensação de um só é a magnitude do amor, com proporções não reais, pois sua intensidade não tem medidas. O que mais acho fantástico e prazeroso e dar prazer a quem agente ama, é sentir o homem realizado e feliz, este prazer passa a ser duplo, é um prazer unificado! Com muito amor!

Nesse momento,
te sinto minha. ...

_ Fica quieto amor!

_ Esquece um pouco da tua menina.
_ Agora sou eu quem quer
teus sussurros,
teu arfar.
_ Vem pra mim e deixa
te fazer meu homem satisfeito.

No ato fazer amor, nunca pode existir egoísmo, pois o prazer não pode ser exclusivo, não pode ser privativo, o prazer é dos dois que ali estão com corações e almas a sentir, o prazer é realização intima, é consumação de muitos desejos, é efetivação de sonhos com requinte!!! Lindo teu poema poeta, uma linda viagem!!! Te beijo!

poemas disse...

Nos teus últimos poemas o "eu lírico"
é uma "menina" que passeia na sua imaginação: de curiosa a exibida....
mas estou rindo pq pensei:-Poetaaaaa
deixa essa menina,estou com uma saudade daqueles poemas de viagens de amor e sedução....
Mas para o meu deleite, até a sua menina reagiu e de maneira muito gostosa falou:

Fica quieto amor!

_ Esquece um pouco da tua menina.
_ Agora sou eu quem quer
teus sussurros,
teu arfar.
_ Vem pra mim e deixa
te fazer meu homem satisfeito.

Lindo! Amei esse poema.

Amelia disse...

Poeta, lindo, sensual e cheio de cumplicidade...
Quem não gostaria de uma noite assim, onde o carinho e o desejo andam de mãos dadas?
Parabéns!
Beijos