Cole o Código do Banner

16 de abr de 2007

Tímido amor...


No Bate-Papo,
você perguntou,
um pouco sem jeito,
como eu sinto o amor,
qual a definição,
pra mim, do que é o amor.

Sei que não vistes meu sorriso
de orgulho, por achares, que eu,
um homem comum tivesse o poder,
a sabedoria, de definir
a razão da vida, o momento clave
de todos nós.

Claro que pensei muito,
afinal não poderia te deixar
sem resposta.

Busquei nas lembranças,
algumas definições dos
grandes mestres e nada
se parecia com
o que sentia.

Pesquisei no coração,
falei com meus sentidos,
vasculhei meus sonhos,
despertei meus desejos,
e naquele momento, nada
poderia definir "O AMOR"
de todos por todos.

Resolvi te dizer
que não era capaz.
Que o amor pode ser
abstrato, efêmero,
eterno, dádiva.

Você claro agradeceu.
Disse que tinha que ir.
Partiu e nunca mais
falamos do amor.

Ainda conversamos,
até rimos de nossas
desilusões e acertos.

Hoje vendo tua foto,
relembrando daquele dia,
fico aqui comigo maldizendo
minha timidez.

É minha timidez sim...

Pena que você não
sabia disso.
Se você,
naquele dia,
tivesse me dado,
apenas um sinal,
eu teria dito o
que acho do amor.

Não o amor de todos os homens.
O amor fraterno e livre de interesses.
Mas um amor novo, muito forte,
que sinto agora.

Te diria que o amor pra mim,
é;

Aquele friozinho no estomago,
que segue subindo pra aquele aperto
no peito, que vai até a boca,
que deixa ela seca,
só de pensar em dizer pra você...

Te amo.



Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

4 comentários:

Amelia disse...

O amor...será que é esta a definição?
Qual seria a melhor definição? Acho que sua primeira resposta foi até condizente, ou as duas deveriam vir juntas?
Lindo texto!!
Beijos

poemas disse...

Nossa! Cara vc se superou....lindo o poema,expressa a dor de quem tem dificuldade de exteriorizar sentimentos,seja por timidez ou orgulho....
Blz!!! Amei....
Teu "eu Poético" está apaixonado,mas tb se assim não o fosse,não seria poeta.

nanci cerqueira disse...

Poeta, este “Tímido amor...” é uma pérola rara, é delicadíssimo, é uma preciosidade, não é comum kkk, esta tua acepção do amor é fantástica, nos capacitando a sentir o verdadeiro sentimento que é o amor. O amor demarca nossas vidas neste instante que vivemos. A afeição entre dois seres é o que nos dá a certeza que a vida está a nossa frente para ser vivida. Quando se questiona sobre o amor, é porque já se tem uma opinião formada sobre ele, querendo sentir o que o outro pensa, é natural esta curiosidade, como se quisesse abalizar seus próprios sentimentos. Lindo, lindo, lindo este poema!!!

Sei que não vistes meu sorriso
de orgulho, por achares, que eu,
um homem comum tivesse o poder,
a sabedoria, de definir
a razão da vida, o momento clave
de todos nós.

Claro que pensei muito,
afinal não poderia te deixar
sem resposta.

O amor nos dá esperteza de enxergar a quem nossos corações estão sinalizando, o amor é um sentimento sem explicação, são coisas do coração, nos deixando acanhado, mas nos agigantando a cada instante em sentir!!! O amor é o maior dos sentimentos! É vida! Parabéns poeta, um beijo atlante no teu coração!

Rita disse...

Todo poeta tem sua forma especial para definir o amor, e a sua, tímida, suave, simples mas sutil...Bjks