Cole o Código do Banner

25 de mai de 2007

A quem possa interessar...


Cheguei e sozinho,
me ponho a conversar,
a sentir esse momento.

Tiro o terno,
afrouxo a gravata
e sento meio largado,
meio sem forças.

Procuro em volta um abraço,
um ombro, amigo ou não,
mas que chore comigo,
minhas lágrimas
tão fortes, tão inusitadas,
penosas, secas

O luxo que me rodeia,
totalmente sem vida,
sem suspiros, agride.
Quanto espaço sem nada,
estéril, punitivo,
que me cerca soberano.

Momento frio, saudoso,
medroso em seu jeito
de duvida e impotência.

Que é a ausência dos seus sorrisos
quando permitem que os meus,
sejam de agradecimento por
seus olhos vivos, negros,
suas vidas.

Muitas coisas por aqui.
Muitos atrativos estéreis.
Mas existe uma porta,
sem chave, sem caminho de ida
ou volta que se fechou,
em meu destino.

E nesse lugar gelado,
pensarei vocês amanhã,
em mãos estranhas,
fazendo-os ter vida ou não.

E mesmo com tentativas
de sobriedade, confesso,
a quem possa interessar,
que queria estar eu,
nas mãos dos estranhos,
com vocês longe,
sorrindo a me esperar.


Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.
Código do Texto: T538938

5 comentários:

Rita disse...

Poeta/menino, talvez não seja necessário comentários...Sentí e sinto... Meu carinho...Bjks

Elâine disse...

Forte como o momento! Belo como a força que eles têm. Bjs!

poemas disse...

Olha! A vida nos prega peças, saber lidar com as adversidades é sinal de sabedoria.
Sabedoria para aceitar aquilo que não
podemos mudar.Se curvar aos desígnos,que o futuro te mostrará o porquê.
Não temos garantias de ser o melhor,a melhor situação,a melhor vida,nem sempre um modelo social é o melhor.Há uma lei que rege tudo isso...e ela é sábia.
Mas,sentir é humano...
Um abraço!

Amélia disse...

Poeta, estou sem palavras, sem ação perante tanta emoção, tanta dor, que se misturaram e vieram em forma de poesia!
Beijo com respeito a sua dor

nanci cerqueira disse...

Poeta, és um homem extremamente sensível, demonstra nas tuas palavras a angústia, a apreensão do amanhã, sentes o perigo, e o que mais te deixa triste é que não mais depende da tua força e determinação, sentes de pés e mão atadas, esta sensação de alucina, te deixa indignado com o momento, choras pra ser mais forte, lavas a alma e acredita na vida, poucos sabem ser gente como és. Poucos têm a tua perseverança... Te admiro poeta!

Procuro em volta um abraço,
um ombro, amigo ou não,
mas que chore comigo,
minhas lágrimas
tão fortes, tão inusitadas,
penosas, secas

O luxo que me rodeia,
totalmente sem vida,
sem suspiros, agride.
Quanto espaço sem nada,
estéril, punitivo,
que me cerca soberano.

Teu sentimento é nobre, tuas conclusões são aceitáveis, sentes com a alma, tua corrida por a vida é determinante, tua luta é grandiosa, tua consciência está tranqüila, tens muita luz!!!
Tens muito amor menino!!! O mundo precisa de mais pessoas como você!!! Parabéns. Te beijo.