Cole o Código do Banner

24 de jun de 2008

Presente Íntimo...


No shopping, procurava um presente
para uma pessoa querida, fazia
aniversário.
Confesso que é mais fácil mandar
alguma muher comprar presente intimo
para outra mulher.
De qualquer modo, tinha que ser feito.
Lembrei de outros presentes que havia comprado
e parti firme, com as pernas ainda meio
bambas, pra realizar o desejo de minha amiga.

O presente era especial,
pedido com detalhes que só as
mulheres notam, mas...

Encontrei uma loja especializada
em lingerie e em deixar homens sem graça.

Por quê?

Primeiro as vendedoras eram de rara beleza.
Segundo, muito bem treinadas, educadas e solicitas.
Terceiro, sou tímido...
e tinha que ser objetivo como ter bom gosto.

Ao entrar na loja, logo surgiu uma morena
que deveria receber mil presentes lindos,
pois era uma mulher realmente muito bonita.

Elegante, com aquele ar distante de artista
do cinema francês, que já acorda linda e maravilhosa e com um sorriso que ia do ingênuo
ao sagaz, passando pelo sapeca em questão de segundos.

_ Boa tarde senhor,
em que posso servi-lo?

Ela deveria ter uns 30 anos,
tinha um metro e setenta,
pouco mais, pouco menos.
Olhos cor de mel, seios tamanho
médios, naturais.
Uma cintura fina que mostravam que malhava,
o que faziam com que suas pernas fossem
firmes, roliças e por ai vai...

- Boa tarde, obrigado.

Conseguia imaginar o que estaria se
passando na cabeça da moça,
Já que me olhava de cima a baixo,
sem parar.
Com certeza deveria estar me avaliando
como cliente.
Tipo de roupa, acessórios, modo de falar,
postura, etc...
Tudo o que todo bom vendedor faz.

Mas com essa avaliação, seu sorriso mudava
constantemente e na hora que nossos olhos
cruzaram-se forte, mudou para um quê de
preocupação.

_ O senhor quer sentar-se enquanto escolhe.

Disse olhando para a bengala que trazia comigo.

Obrigado, aceito sim.

Nesse momento voltei a pensar na minha amiga
e no seu presente.

Sentado, abri o blazer e pedi um copo com água
gelada, com gás, o que prontamente a morena
pediu a uma outra moça atrás de uma pilha de calcinhas, sintas e outras coisas...
Logo fui atendido.

Bebi com satisfação e com naturalidade,
perguntei quem poderia me ajudar a comprar
um presente para uma amiga nada bonita e
que não tinha o menor gosto para lingerie.

Yara, esse era o nome da morena,
puxou uma cadeira e sentou-se
a meu lado e sem pestanejar,
disse com natural segurança.

_ Posso ajudá-lo no que for preciso,
mas tenho certeza que quando sua amiga
vestir nossas peças, ela ficará linda.
_ Posso também lhe garantir, que nenhuma
mulher é totalmente feia.

Não poderia deixar passar isso.
Respondi em seguida.

- Nem totalmente bonita.

Nesse segundo o sorriso se transformou num pequeno esgar e partiu do branco para o meio-amarelo.
Deixando também algumas rugas na testa de Yara,
mostrarem que a venda talvez não fosse tão fácil.

Mas realmente não era essa minha intenção.
Eu compraria qualquer coisa que ela indicasse.

_ O senhor sabe o manequim de sua amiga?

- Sei sim, ela tem o corpo parecido com
o seu, só que um pouco mais magra.

Outro esgar surgiu, mas até aí tudo bem.

_ Assim ficará mais fácil,
posso lhe mostrar as peças que mais servem
em mim e pro meu corpo.
Assim o senhor pode ter uma idéia mais
embasada para sua amiga "não bonita".

_ O que acha?

Concordei e esperei curioso para ver que tipo
de lingerie a morena usaria ou usa.

Veremos...

Ela começou mostrando uns espartilhos,
depois uns sutiens meia taça, taça cheia,
firmes, sem arame, com arame.
Logo vieram as meias de seda, as presilhas,
e coisas que nem lembro mais.

Por fim mostrou-me cinco modelos de calcinha
que teriam de várias cores e rendas.

Tenho que confessar que deu vontade de pedir para ela mesma provar as peças, mas não se faz isso em horário de trabalho...
A maioria, pelo menos, não faz.

- Posso chamá-la pelo nome?
Pergunto de supetão.

_ Claro senhor, me chamo Yara.

- Olha Yara, teu gosto é fantástico,
mas minha amiga é um pouco mais esguia que você.
Tem as pernas algo mais torneadas que as
suas e tem o bumbum mais arrebitado,
só um pouquinho.
Não sei se servirão para ela.
- Faz assim;
Imagina que ela seja um pouco mais nova que você.
Que malhe o suficiente para não
ter barriga alguma.
Com os cabelos mais longos que os teus e
que ao caírem pelas costas,
fazem um contorno maravilhoso do corpo.

O sorriso desapareceu do rosto de Yara.
Olhando-me séria e sem pestanejar,
pergunta;

_ Mas o senhor disse que ela não era
nada bonita e que não tinha gosto para
lingerie.
_ Quer dizer que como lhe mostrei o que uso
e o que ficaria bem nela, não serve.
_ Ela deve ser linda, essa sua amiga.

Falou já meio sem graça.

- Desculpe-me Yara se não fui preciso com você.
- Realmente o que é lindo nela é o rosto,
o corpo esta mais para comum.

_ O senhor prefere que outra de nossas vendedoras
venha lhe atender?
_ Quem sabe o senhor possa ter uma melhor noção.
_ A Stefan é linda de rosto e tem um corpo
muito bonito quase perfeito.

_ Seria ótimo, mas como estou com um pouco
de pressa e teria que falar tudo de novo,
vamos continuar.

_ Quem sabe um biquíni?
_ Temos uns maravilhosos e que deixam qualquer mulher mais bonita, até eu.

- Pode ser, boa idéia.

Yara voltou logo com uma pilha de biquínis,
que fariam inveja a qualquer garota nas praias
do Rio a Ibiza.

Mostrou-me vários modelos que realmente eram
bonitos, mas acho que fora do corpo de uma mulher, todos o são.

- Vamos esquecer os biquínis.
- Fica difícil imaginar sem um corpo dentro,
ainda mais o da minha amiga.

Disse olhando agora firme para Yara,
para não perder uma reação do seu rosto.

Ela me olhou e com muita educação,
disse com uma voz de partir qualquer coração...

_ Infelizmente é tudo o que posso lhe oferecer
de nossa loja.
_ Mostrei o que temos de melhor e o que esta na moda.
_ Sinto não tê-lo agradado em nada.

Passados uns poucos segundos, perguntei...

- Você foi muito profissional e fez muito bem
o seu trabalho, mas eu queria resolver isso agora.

- Você pode me mostrar à calcinha mais simples que vocês têm?
- O soutien mais confortável?
- O Baby Doll mais macio?

_ Claro, vou buscar.

Nesse ínterim me passa a tal da Stefan,
com jeitinho de "sou linda, maravilhosa e
“meio metida”, como se desfilasse
para as melhores maisons de moda do mundo.

Realmente ela era de congestionar aeroportos
pelo mundo afora.

Yara volta com apenas uma calcinha branca de algodão, um soutien bem simples e um baby doll
curtinho e bem macio.

- Agora sim Yara você acertou.
- Vou levar os três.
- Por favor, um cartão para escrever umas palavras...

_ Pois não, ainda bem que o senhor gostou.
_ Só um momento.

Enquanto Yara foi resolver as coisas da compra, cartão, caixas de presente, etc...
Chamei Stefan e pedi que ela separasse todas
as outras roupas que Yara tinha me mostrado e mandei embrulhar para presente também.

- Disse num tom de segredo.
- Deixo esse meu cartão com você, pague tudo,
que mando buscar mais tarde.

- Fique tranquilo e obrigado pela venda, mas não era a Yara lhe atendendo, pergunta.
- Sim, mas quando sair te telefono e te explico tudo.
- Obrigado Stefan.

Logo volta Yara com tudo resolvido e pede para o boy me acompanhar com as compras até o estacionamento.
Disse que não era necessário que eu tinha quem fizesse isso.

_ Não se esqueça do cartão.
_ Vai escrever agora ou mais tarde?

- Claro o cartão.

Escrevi apenas isso:


Yara,

Para a beleza,
nada mais que a simplicidade
e o bem estar, fazem falta.

Parabéns!



Minha amiga recebeu o seu presente, adorou tudo,
e vive dizendo que perecem que foram feitos especialmente para ela. Está feliz.

Quanto a Yara, nunca mais a vi,
mas Stefan diz sempre que que ela anda muito estranha,
diferente mesmo,
depois que recebeu meu presente.

De qualquer maneira
espero que ela seja,
tão mulher,
para gostar de uma simples calcinha branca de algodão,

quanto ela é linda e maravilhosa.

Quem sabe não me apareça outra amiga
que goste de lingerie,
para eu poder voltar a ver Yara,
nesta cidade...


Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

3 comentários:

JEANINE disse...

Tão real...
Eu estava lendo e já estava ficando indignada..pobre Yara...
Mas ao final....
Como sempre...surpreendeu-me.

Beijo

R.Cássia disse...

Histórias do "Poeta"... Mais um delicioso pedacinho de vida. Muito bom vivencia-lo! Bjks

nanci cerqueira disse...

Poeta, fantástico teu texto, maravilhoso... nos coloca dentro desta loja, nos fazendo ver cada expressão do rosto de Yara, sua beleza e delicadeza, sua vontade de atender com presteza um homem cortês e ao mesmo tempo sedutor, usando um jogo de palavras inteligentes e sutis, deixando-a encantada e intrigada, caminhando para paixão! Que com certeza foi o que aconteceu!kkk Parabéns poeta... Parabéns!!!

Escrevi apenas isso:


Yara,

Para a beleza,
nada mais que a simplicidade
e o bem estar, fazem falta.

Parabéns!

Teus poemas, são sempre uma linda viagem! É muito bom te ler! Muito bom!

Parabéns mais uma vez!

Te beijo menino