Cole o Código do Banner

10 de jun de 2008

Tchau Amor...!


Longe,
bem ao longe,
sinto o perfume terra-crua
da tua pele, agora molhada,
viva, brilhante, satisfeita.

Longe,
ainda mais longe,
ouço teu pranto,
teus suspiros em lágrimas puras,
novas, só tuas.

Longe,
apenas longe,
vivo a esperança,
sonho de você minha,
espera sofrida,
consumida,
dor da tua ausência.

Longe,
ao alcance de meus braços,
julgavas-te protegida,
agora,
espantas-te com nossa proximidade,
sentes suave,
o bater do outro coração.

Junto,
mas ainda distante,
olho-te com amor,
com ternura incomum,
sinto teu coração palpitando.

Junto,
totalmente junto,
agora apenas um,
dizes-me sorrindo com
teus olhos de um cinza
absurdamente bonito.

_ Porque demorastes tanto?
_ Te espero a muito, meu senhor.
_ Toma meu ser e dele cria o amor.
_ Faz de mim, teu pouso final.


Longe,
infinitamente distante,
sinto a busca do coração acelerado,
dizer firme e no compasso.

_ Agora tenho que ir.
_ Teu amor me domina,
teu corpo me fascina,
teus olhos de menina,
são minha prisão perpetua.

_ Fica amor, volto logo,
tenho negócios e compromissos.
_ Triste sei que não vais ficar,
pois sei como gostas dessa
saudade gostosa que sentimos.

Quando ausentes de corpos estamos,
mas cada vez mais em um só,
como em único se tornou nosso
coração.

_ Beijo menina...
_ Tchau amor...



_ Poema postado em, 21-03-2007

_ Postado, outra vez agora, a pedidos ...

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

2 comentários:

R.Cássia disse...

Quando iniciei a leitura, logo me reportei à primeira vez que o lí... Um delicioso sonho atemporal... Lindo! Bjks

nanci cerqueira disse...

Poeta, teu poema será sempre atual... tuas palavras juntas, me permita usá-las, pois
não existe nada mais bonito! Parabéns menino!!!

Longe,
ainda mais longe,
ouço teu pranto,
teus suspiros em lágrimas puras,
novas, só tuas.

Longe,
apenas longe,
vivo a esperança,
sonho de você minha,
espera sofrida,
consumida,
dor da tua ausência.

Longe,
ao alcance de meus braços,
julgavas-te protegida,
agora,
espantas-te com nossa proximidade,
sentes suave,
o bater do outro coração.

Junto,
mas ainda distante,
olho-te com amor,
com ternura incomum,
sinto teu coração palpitando.
...

_ Porque demorastes tanto?
_ Te espero a muito, meu senhor.
_ Toma meu ser e dele cria o amor.
_ Faz de mim, teu pouso final.

A proximidade dos corações nos faz acreditar nas magias da vida!
Faz-nos acreditar que existem milagres! As conexões dos sentimentos, dos pensamentos podem ser um grande milagre! Lindo teu poema! Mais uma vez... Parabéns!

Te beijo menino