Cole o Código do Banner

6 de dez de 2010

Mulher... Quem as consegue perceber...?

Nada pode ser mais intrigante, contraditório, imerso numa luz boa que cega, do que as mulheres.
Garantem os sábios, que penetrar, ser aceito, enfim,
conhecer o feminino é tão ou mais difícil que a velha estória do
elefante passar pelo buraco da agulha... dificílimo.
Há que ser mestre na arte da mutação.

É como estar-se no meio da pradaria ou o
seguir inconsciente por uma rodovia à noite,
totalmente sem luz, sem ponto de referencia, sem destino traçado.
É como querer absorver do universo seus segredos, melhor guardados,
numa única e efêmera vontade de ter.

Mas como para tudo existe a exceção...
Existem aquelas que a um homem presenteiam em conhecer-lhe os segredos,
claro que nunca mostrando sua real essência.

Com trejeitos e jeitos, em doces expressões levadas,
elas,
se com o mel da sedução adoçam a boca é quase certo que amanhã amargure o coração.
Se baterem o pé, exclamam forte com charme, em quererem estar junto, por perto, em sua vida...
Se por momentos nos permitem aproximar-nos apaixonados é porque,
com certeza, já construíram para si, uma distância segura.

Uma Mulher, a Mulher,
maravilhoso mistério imponderável como o próprio criar.
Se lhe cabe o início da vida também incontestavelmente faz seu fim.

Mulheres dominas, sedutoras, corajosas, frágeis em seu enrubescer,
marcaram época em toda nossa ignorante existência dita superior...
As Mulheres de Atena, Joana Darc, Afrodite, Isabel, Lilith, Mães, Diana
Evas inseguras e submissas a cada instante são tantas, outras, diversas,
mudam, modificam-se...
São Mulheres.  

O mistério feminino é tão insolúvel, indecifrável, necessário a própria existência feminina.
Que de tão guardado, faz com que, nem outra igual, uma mulher outra,
seja capaz de entender, de mostrar o caminho único desses segredos.

Se por fora, na pele, no sorriso, parecem suaves e tranquilas, pode-se crer na verdade,
seu interior esta a agitar-se.
Na Mulher a alma sempre se agiganta, toma as rédeas e direciona,
firma a decisão e determina.
Se não força, arranca, dispara, é porque está de posse das rédeas.
Planeja, configura os caminhos para o domínio e se consegue,
torna-se leoa, caçadora, a guerreira amazona, linda e livre consciente de seus domínios.

Existem pelo mundo uns duzentos vulcões conhecidos e temidos,
mas a mulher em seu íntimo é o mais poderoso de todos os vulcões.
Nela nunca se sabe quando seu despertar se dará, quando irá acordar e mostrar seu fogo.
Lembremos que em seu sangue, em suas entranhas corre vida,
com a força descomunal do amor, que só a elas é possível.

Mulher...
Seus devaneios têm a força dos sonhos reais.
Seus pensamentos são como tempestades, relâmpagos tropicais.
Suas decisões, por hoje, aqui, sempre, terão a força da Lei.

Depois de muito argumentar com sábios e errantes ingênuos
cheguei à conclusão que a alma da Mulher é errante,
transcende o espaço conhecido e absorve do sofrimento e do tempo, seus segredos.

No fundo a mulher nunca é simples...

Para mim, é ainda aquela que, com certeza,
guarda em seu intimo, uma menina... pronta para despertar.

Minha menina...


Adaptação masculina de "As Mulheres" - Lilliam

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Um comentário:

Leila disse...

Maravilhoso!