Cole o Código do Banner

11 de abr de 2011

Momentos em Mel



Anda,
lambe os lábios, molhados de avidez
e respira, sente, prova do doce aroma que completa
nesse momento, o ar da entrega.

Vem,
lambe a língua que te proponho, feito frágil
beija-flor, que desvairado suga a doce flor
lisa e formada por lábios escondidos.

Feito o oceano que lambe as areias recém nascidas,
na praia rosada de tua menina,
fazendo sons em um recital orgástico,
lambe os lábios, como final derramado,
e me faz beber a saliva, espessa e cheia de
vontades tuas aquecida.

Corre,
engole tua água na boca, beija e chupa,
essa viva língua no vão da boca imperfeita.
Lambe meus dedos e sente meu aroma no peito suado.

Chega,
lambe a barba cerrada, com pelos vivos
a se dilatarem ofegantes,
lambe a glande, tua, desencapada,
que minha, acorda e surge como uma
oferenda ferida pelo detalhe do tempo.

Abraça...


Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

4 comentários:

JEANINE disse...

UIIII
TESÃO RILTON

Cinthia disse...

Quando nossos passos vão se cruzar
e nossos olhos vão se beijar?

Eu tenho esperado longos dias
por algo que nem sei

Essa saudade é bem doída
mas não apaga a chama
que alimenta as faíscas
dos sonhos impossíveis
que eu ainda tenho


Um beijo

Anônimo disse...

Nossa!!!!!
Depois de ler esse poema só penso em você...Você é essa coca cola toda mesmo???????
Muitos beijos deliciosos...

Nanci Cerqueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.