Cole o Código do Banner

21 de jun de 2011

Minha verdadeira pequenina grande mulher...



Depois do tranquilo adeus definitivo. 
Resignado parto para a verdade,
aceitando o que o coração e a razão mostram ao meu caminho.

Agora uma nova vontade se escreve daqui em diante.
Os sentimentos tornam-se incomparáveis, mais fortes que as palavras
possam juntar, contar... viver.

Hoje pequenina, verdadeira esperança, em seus sonhos de sapeca,
vou dizer-te como é bom te querer amar, amando nosso futuro, teus jeitos,
tua necessidade pela verdade...

Um dia nosso beijo foi comum, mas hoje a cada beijo,
nasce uma nova sensação difícil de te dizer ainda,
mas que desse beijo com teu gosto e cheiros,
beijo após beijo, esse velho poeta quisesse repetir mil poemas
ainda não compostos, para dizer-te na certeza do coração,
que ser poeta em você, é ser um apaixonado...

Tenho comigo já esse constante desejo para beijar-te no tempo infinito.
Feito louco desbravador, devorador e que em momentos impossíveis traduzi-los por palavras, deixo-te nua e numa vontade mutua puxo-a para ser minha e
nossos desejos agora unidos feito de uma só força e paixão,
só podem explodir de prazer... Sem medo ou falsas esperas.

Ainda no aconchego de tua cama, volta o silencio,
nossa respiração, traduzida em olhares de cumplicidades,
estabiliza-se.

Meu corpo ainda vive e completamente louco por ti,
resiste, mas estremece numa sensação confusa desconhecida até então,
mas maravilhosa... nova, real, livre...

Ao descobrir teu rosto dos cabelos em desalinho,
sinto o silencio de teus olhos encharcados de lagrimas de desafogo.
Teu rosto, tua face única, visão só tua como se pedisse que a penetrasse,
naquele momento através de teus olhos em teus desejos ainda presentes...

Por instantes, momentos, não importa,
ficamos parados de mãos presas sentindo o universo, que por bondade emana energias de nossa paixão, quer dizer sem medo ou necessidades...

“Nos amamos”

Tua pele ainda suada do amor,
teus cabelos espalhados sobre a cama,
como querendo que se juntem palavras para descrever a perfeição...

Mas minha pequenina, como posso juntar letras e mostrar tanta beleza e serenidade...?

Te digo, confessar é o mais certo, não encontro palavras certas que possam descrever como é bom estar a te querer, a te amar de verdade.

Peço-te deixe-me entender um pouco mais sobre esse amor.
Deixe-me amar você e experimentar a cada dia uma nova verdade.
Prometo experimentar ser um homem mais que comum ao experimentar
esse teu amor como experimento respirar para viver.

Creative Commons License

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Nenhum comentário: